Bem-vindo(a). Hoje é Juruena - MT


Mesmo com a mudança de calendário de votação por causa da pandemia do novo Coronavírus, o comparecimento às urnas continua obrigatório em todo país para os eleitores com idade entre 18 e 70 anos. Quem estiver ausente do domicílio eleitoral, dentro do Brasil, pode fazer a justificativa em qualquer sessão eleitoral ou, preferencialmente, pelo aplicativo e-Título. Quem estiver fora do país tem 30 dias para se justificar. A falta de justificativa no período gera multa de R$ 3,51 e suspensão de alguns direitos civis, como confecção de passaporte, matricula em instituições de ensino e participação em licitações públicas.

O chefe de apoio às Zonas Eleitorais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso, Ailton Lopes, explicou que, apesar de existir a possibilidade de justificativa presencial, a orientação, para evitar aglomeração, é que a comunicação seja feita on line, preferencialmente por aplicativo.

“Nós estamos orientando e sugerindo para que as justificativas sejam feitas, preferencialmente, pelo aplicativo e-Título. Claro que todas as sessões eleitorais estão preparadas para receber as justificativas, mas, para não gerar aglomerações, nós pedimos que os eleitores baixem o aplicativo nas lojas virtuais, é gratuito, e justifiquem pelo aplicativo”, explicou.

O aplicativo permite a inserção de documentos que comprovem a ausência. Se a justificativa for no dia e horário da votação, o GPS do telefone celular identifica que o eleitor está em outra localidade e processa a justificativa.

Além do aplicativo, a justificativa também pode ser feita pela internet nos sites do TRE-MT e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou nos cartórios eleitorais.

De acordo com Ailton Lopes, o risco de contaminação gerado pela pandemia não é motivo para ausentar-se da votação, mas a justificativa pode ser apresentada ao juiz eleitoral, que vai analisar caso a caso.

Para o eleitor que tiver febre no dia da votação ou tiver contraído Covid-19 no período de 14 dias antes da votação, a orientação do TSE é para ficar em casa. Quem deixar de votar por esse motivo terá de apresentar um documento, como atestado ou declaração médica.

Mesmo que o eleitor esteja contaminado com a Covid-19, não há proibição de voto. Segundo o TSE, as medidas de segurança tomadas durante a votação, como uso de máscara, distribuição e uso de face shield pelos mesários “são capazes de proteger os eleitores inclusive na eventualidade de haver pessoas contaminadas”.Só Notícias/Marco Stamm (foto: arquivo/assessoria)


Marcadores: ,

Postar um comentário

O Portal DN Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.
Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.